quinta-feira, 9 de julho de 2009

Inquietações!


Teria sido diferente se eu tivesse voltado? Ou se talvez jamais tivesse ido?
Será que seria suficiente você me ter pelos motivos errados? Ou eu permanecer por conta deles?
Até que ponto ser feliz implica em fazer alguém sofrer? E até que ponto se deve sacrificar suas certezas para que alguém não sofra?
O que é exatamente certo ou errado? Simples ou não?
Creio que isso de verdade nem se aplica. No fim, nada disso importa ou faz sentido, já que, por mais que se esforce à dor sempre nos acomete no caminho, e isso é inevitável. Será que agora ela é minha ou sua?

Um comentário:

Regi disse...

É minha flor, como não se inquietar com o que é "certo" ou " errado", apenas se denota que o mais improvavél é dizer que não refletimos.. Amo querer refletir e ser...possivelmente humano, indiscutivelmente amigo...